LEITE DE SOJA – VAMOS DESVENDAR OUTRO MITO!!!

On 11/04/2013 by admin

DE ONDE VEIO A IDÉIA DE QUE É UM ALIMENTO SAUDÁVEL?

Diferenças-entre-leite-de-vaca-e-de-soja609x250

 

Queridos amigos, é com grande preocupação que resolvi escrever sobre este tema. Minha intenção é sempre a informação aos leitores, mas acredito que toda vez que oriento as pessoas em coisas que deveriam mudar para que as crianças possam gozar de um futuro com mais saúde, o assunto se torna mais sério. Na realidade acho que atendo alguma mãe preocupada com seus filhos, acabo fazendo uma consulta muito mais cuidadosa, pois tenho profundo sentimento de tristeza com os hábitos que os pais de hoje estão literalmente criando para seus filhos.

 

Quero que vocês saibam que tive que ler alguns muitos artigos e livros de especialistas no assunto para que pudesse compreender exatamente todos os aspectos, os prós e contras e disponibilizar às pessoas todos os principais aspectos referentes a este alimento.

 

Em janeiro de 2004 o departamento de saúde do Reino Unido, através do periódico CMO’s Update (comunicado a todos os médicos) recomendava aos pediatras, mais uma vez, que não se indicasse fórmulas infantis à base de soja para alimentação infantil.

 

No Brasil, costumamos chamar as fórmulas infantis de leite em pó. Quando examinamos com atenção a composição das latas dos leites em pó para crianças é simples enxergar que na verdade não se trata de leite em pó. São ordinariamente fórmulas alimentares. Mas como chamar  estas fórmulas de” leite em pó” é muito mais  atraente ao público, nem as pessoas em geral e nem mesmo os médicos prestam atenção ao conteúdo dessas apresentações alimentares.

E pensando sobre o comunicado no Reino Unido, porque será que essa recomendação foi feita? Pois bem, vamos aos detalhes do comunicado que contém textos que advertem: “As formula baseadas em soja têm altos conteúdos de fitoestrogênios, o que pode colocar em risco a saúde reprodutiva das crianças”. Deixem-me então explicar resumidamente o que são Fitoestrógenos.

O prefixo “Fito” representa algo que vem das plantas e Estrógenos são estruturas químicas diferentes estruturalmente dos Hormônios Estrogênios existentes no corpo humano. Fitoestrógenos são então substâncias que vêm das plantas e uma vez no corpo humano, exercem funções semelhantes a estes hormônios estrogênios, que por sua vez são hormônios que estão presentes abundantemente em mulheres e são responsáveis por características sexuais físicas do corpo feminino.

Mais adiante o mesmo artigo diz que o Comitê Científico de Recomendação Nutricional estabelece que não existe um único benefício que justifique o uso desse tipo de alimento industrial para bebês. E mais: “… não existe uma única condição clínica que requeira especificamente o uso de fórmulas a base de soja”. Essas são recomendações do ministério da saúde inglês. Devemos acreditar que isso não seja implicância com os países que tem na soja importante forma de comércio. Vamos examinar melhor esse extravagante produto que muitos gostam de chamar de leite de soja, na verdade um extrato vegetal. Não tenho dúvida e tenho certeza de que, ao final deste artigo, você também não terá de que esse extrato é comparado ao leite com a única finalidade de confundir o público consumidor e com propósitos muito distantes de oferecer um alimento natural, especificamente aos recém nascidos, e às pessoas em geral.

E como acho que vocês já notaram que é realmente fundamental que saibamos um pouco de história para podermos entender mais profundamente sobre alimentos, vamos esclarecer alguns pontos.

A primeira fórmula infantil a base de soja conhecida, foi empregada na América do Norte, provavelmente em 1909. Foi elaborada por um pediatra, Dr. John Ruhrah, preocupado em oferecer opções às crianças com problemas digestivos. Em 1916 o Jornal da Associação Médica Americana publicava um artigo que estudava o uso de uma formulação com soja para crianças com diarréia, com uma taxa de sucesso de 59,4%. No oriente o primeiro uso desse tipo de formulação data de 1928, mas teve sua composição modificada já em 1931, em função de carências nutritivas. (Essa nova fórmula continha sal, açúcar, lactato de cálcio, óleo de fígado de bacalhau e água de repolho).

O leite de soja seja na formulação de pó em lata ou líquida em caixas, jamais é pura soja. Isso seria absolutamente prejudicial. Esses produtos são fortemente modificados em sua composição final para atender predicados mínimos de saúde nutricional. E esses predicados foram se modificando ao longo do século XX, conforme foi se descobrindo suas insuficiências e potencialidades tóxicas.

Vou continuar provando a vocês que esse tipo de alimento só tem a palavra saudável ou natural em seus rótulos para obter simpatia de marketing! E a indústria alimentícia, bem como a farmacêutica sabe muito bem do apelo comercial e a força da palavra “natural”, por isso usam com tanta frequência e conseguem seduzir tanta gente. Vou dar um exemplo para que entendam: veneno de cobra é natural, mas mata, é ruim, ao passo que existem cápsulas de Vitamina A manipulada, são sintéticas, mas fazem bem por ser bioidênticas.

Saibam que infelizmente o leite de soja tem sido indicado também para mulheres na menopausa devido ao seu efeito estrogênico, mas devido aos diversos componentes adicionados ao mesmo, além do fato de enxerem estas mulheres de efeitos estrógenos sem a oposição da protetora progesterona (confundida pela imensa maioria dos médicos com progestágenos) pode ser um terrível problema para o desenvolvimento ósseo normal, predispondo-as à osteoporose. Além deste problema, a opção atual para o tratamento da menopausa é de fato através da Modulação Hormonal Bioidêntica, com uso de estrogênio bioidêntico, Testosterona e Progesterona Bioidênticas com gel de alta absorção, uma vez que sabemos que é fundamental termos o efeito protetor da Progesterona e perigoso termos somente o efeito de um Fitoestrógeno.

 

poison-monsanto

 

Outro grave problema é o excesso de manganês. Esse excesso nem é uma conseqüência da industrialização, mas um problema inato do grão de soja. Tal mineral pode ser encontrado em concentrações 30 vezes maiores que a do leite humano. O excesso de manganês pode estar associado á déficit de atenção, dificuldade de aprendizado, distúrbios de comportamento e agressividade. Como esse é um aspecto inato da soja, talvez a única solução para acabar com esse problema seria não produzir mais esse tipo de manufatura alimentar.

Conseguem perceber o quanto temos ouvido falar sobre a quantidade cada vez maior de crianças e jovens diagnosticados, ao meu ver erroneamente, com Déficit de Atenção e Hiperatividade? Porque será que até pouco tempo atrás, era uma doença praticamente inexistente? Não seria mais prudente que fosse realizado uma pesquisa completa com exclusão de alimentos tóxicos do cardápio das pessoas, ao invés de logo ser prescrito um medicamento altamente controverso como a Ritalina, o qual já existe uma série de estudos comprovando seus efeitos adversos, principalmente a longo prazo, principalmente quando estamos lidando com crianças?

É, nós médicos somos ensinados infelizmente a tomar as decisões pelo que parece mais fácil, isto é, prescrever drogas, ao invés de fazer o correto, que pode ser mais difícil e levar mais tempo, entretanto com toda certeza é a melhor forma de gerar saúde.

Há ainda os agentes anti-tireoideos, ou groitogênicos, que podem estar associados a doenças auto imune que afetam a esta glândula. Os danos à tireóide foram descobertos já em 1939, e isso obrigou os fabricantes a adicionar iodo aos derivados de soja. Infelizmente não acredito que isto seja o suficiente para proteger plenamente os consumidores.

O processo industrial pode gerar lisinoalanina – agente tóxico, e nitrosaminas, reconhecidos carcinogênicos. Além disso, pode ser produzido MSG, ou ácido glutâmico, com ação neurotóxica (tóxica ao seu cérebro). Adicionalmente os produtos a base de soja podem ter taxas elevadas de alumínio, um dos tóxicos minerais mais comuns presentes no organismo.

Entre os nutrientes da soja os fatores alergênicos têm alta relevância. E para que vocês notem a “cara de pau” da indústria da Soja, estes produtos são vendidos como sendo hipoalergênicos. Entretanto desde 1930 os produtos a base de soja são reconhecidamente indutores de alergia. Naquela época já era percebido que as crianças verdadeiramente alérgicas ao leite de vaca seriam também alérgicas ao leite de soja. Recentemente o Colégio Australiano de Pediatria advertia que esse tipo de produto não deveria ser utilizado como profilaxia para quadros alérgicos frente aos seus potenciais riscos para a saúde geral da criança, além do mais a proteína de soja é alergênica simplesmente por si própria.

Pesquisas científicas descobriram que as fórmulas de soja reduzem as imunoglobulinas e proporcionam mais infecções do que em crianças alimentadas com produtos naturais (leite de peito ou mesmo o problemático leite de vaca, o qual hoje é considerado um sério problema de saúde pública também pelos maiores especialistas em nutrigenética do mundo*).

Leia sobre “A Verdade sobre o Leite”

Outras pesquisas mostram uma deficiência na resposta imunológica às vacinas em nenês alimentados com soja. Seus autores advertem que proteínas vegetais nunca deveriam ser administradas às crianças nos primeiros meses de vida.

Outro fator terrível é a presença do adoçante HFCS (High Frutose Corn Syrup), xarope de milho. Esta substância tem sido apontada como grande responsável pela epidemia de obesidade no mundo moderno e considero realmente uma “praga”, pois está presente, segundo estudos atuais,  em mais de 90% dos produtos industrializados americanos!

O leite à base de soja tem outra “virtude” do mundo do marketing: tem zero % de colesterol* (ainda escreverei um artigo sobre o Mito do Colesterol em breve). Ao contrário do leite materno que é riquíssimo nessa substância, que pode corresponder a 50% de seu valor energético. O colesterol é fundamental para o desenvolvimento normal do sistema nervoso central. Todas as vitaminas lipossolúveis – A, D, E e K – naturalmente faltam nas fórmulas à base de soja. Não existe vitamina B12 em qualquer alimento do reino vegetal, e essa vitamina absolutamente vital também falta no leite de soja. A insensata crença de que o beta caroteno vegetal pode ser um substituto da vitamina A pode trazer danos ao fígado de recém nascidos e levar à falta dessa vitamina. Problemas oftálmicos podem acontecer. A antiga tradição de se adicionar óleo de fígado de bacalhau visava suprir essas limitações: vitaminas A e D.

Como todos sabemos a soja é rica em isoflavonas. É público e notório que as isoflavonas tem atividade biológica similar aos estrogênios. Muitas pessoas crédulas absolutas nos benefícios dos alimentos de origem vegetal entendem que as isoflavonas são uma dádiva abençoada por deus presente nesses seres vivos. Algumas pesquisas demonstraram uma péssima virtude dos fito estrogênios: inibir a capacidade reprodutiva dos seus predadores.

Ao contrário do que muita gente gostaria de acreditar os agentes estrogênicos presentes nas plantas podem ser um delicado veneno que não mata agudamente, mas inibe a reprodução e corrompe lentamente a saúde de quem o consome. Isso sem pensar no fato de que historicamente a Soja era utilizada para praticamente “eliminar” a libido de monges, provando mais uma vez a sabedoria milenar faz todo sentido e deve ser respeitada e no mínimo estudada…

Em 1999 um artigo britânico da Comissão de Nutrição do Reino Unido advertia que os efeitos das isoflavonas presentes nos produtos de soja já estavam claramente definidos. Incluíam alterações nas funções das glândulas sexuais, no sistema nervoso, na tireóide e nos padrões de comportamento..

Alguns autores entendem que a alimentação à base de soja em lactantes os expõe a ingestão de quantias similares a cinco pílulas anticoncepcionais por dia. Alcançam 13000 a 22000 vezes mais agentes estrogênicos em circulação do que crianças alimentadas com leite. Pode ser altamente prejudicial aos meninos que precisam ter eficiência nas ondas de ação de testosterona nos primeiros meses de vida. A alimentação com soja pode estar incriminada no incrível aumento de puberdade precoce entre as jovens americanas, (chega a 50% entre filhas de origem africana). Os garotos podem apresentar problemas de desenvolvimento físico e sexual. Eles também parecem ser mais sensíveis a problemas de desenvolvimento cognitivo. Em outras palavras, meninos podem ficar literalmente afeminados e meninas terem sua maturação sexual acelerada.

Estes fatos são visivelmente percebidos nos dias de hoje…

E o pior é que existem milhares de médicos indicando publicamente a ingestão dos leites de soja pra todas as idades. Amigos, contra fatos não há argumentos, não existe forma de ter uma opinião a favor do leite de soja com todas estas evidências concretas. Quem indica a ingestão da Soja, infelizmente deve rever seus conceitos e atualizar seus conhecimentos. Acredito que uma das maiores virtudes de um homem é ter humildade.

Fazendo uma auto crítica, posso lhes dizer que u mesmo saí da universidade com a imensa maioria de meus conhecimentos já inadequados e desatualizados, incorretos (e isso acontece com TODO médico recém formado). E como qualquer outro médico, indiquei coisas erradas sim, pensando estar ajudando, mas sem saber profundamente sobre grande parte daquelas “verdades. O pior de tudo ainda é que a imensa maioria de médicos recém formados ainda têm uma certeza infelizmente utópica, de que tudo o que aprendeu é atual, por ter sido recentemente ensinado por um professor. Mal sabem eles, que grande parte dos professores estão baseando seus ensinamentos por livros que são como bíblias e estão em média 20 anos atrasados dos estudos atualizados…

Para que vocês tenham uma verdadeira noção, estudo realizado em 2011 nos Estados Unidos concluiu que já no terceiro ano do curso de medicina, o estudante já está com cerca de 50% de seu conhecimento obsoleto. E sabem quando irão atualizá-lo? Boa pergunta, porque custa tempo, dinheiro, dedicação e necessita de conscientização de um sistema de saúde dominado pela máquina da indústria alimentícia e farmacêutica.

Acho que valeu a intenção, porém equívoco meu, em não ter buscado a verdade antes de propagar aqueles conhecimentos. Entretanto sei que a partir do momento em que o médico aceita a humildade de reconhecer que o erro faz parte da natureza humana, muitas vezes há tempo para a correção das orientações erradas. Muito pior é fechar os olhos para o conhecimento e por puro orgulho, preguiça ou rancor, continuar praticando uma medicina errada e altamente prejudicial

Em tempo, deixem-me lembrar que orientais usam a soja fermentada, nunca soja da maneira com que ingerimos ok? É absolutamente diferente o processo que leva à fermentação de um alimento, o que seria mais um longo capítulo para explicá-los, mas saibam que fermentação tem outros benefícios.

Pense bem antes de submeter seu corpo a estes alimentos e mais ainda, se tiver filhos…

 

bebeleite

 

Para profissionais da área da saúde, aconselho que acessem estes sites:

DANIEL, K. The hole soy story. EEUU: New Trends Pub. 2005.

http://www.soyonlineservice.co.nz/04babyhealth.htm

http://www.babymilkaction.org/resources/briefings/tessasoya03.html

Fórmulas Infantiles a Base de Soya. Preocupaciones para La Salud-Documento Informativo de la Comisión de Alimentos, *(Food Comission) del Reino Unido. **Escrito por Sue Dibb y el Dr Mike Fitzpatrick. Abril de 1999.

CMO’s UPDATE – Janeiro 2004 - Advice issued on soya-based infant formulas

the-whole-soy-story1 

 

 

 

One Response to “LEITE DE SOJA – VAMOS DESVENDAR OUTRO MITO!!!”

  • Diva

    Nossa, super esclarecedor!!! Excelente matéria! Será ótimo se todos pudessem ter acesso a este tipo de informação.
    Bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>